Convenção sobre mercúrio é adotada por 140 países

A Convenção Multilateral sobre o mercúrio foi adotada sábado dia 19 de Janeiro emGenebra por cerca de 140 Países, anunciou o ministério suíço das Relações Exteriores.

Este acordo prevê a redução das emissões globais de mercúrio, que é um metal pesado, cuja exposição excessiva afeta o sistema imunológico e pode levar a outros problemas de saúde, como distúrbios psicológicos e digestivos, problemas cardiovasculares e respiratórios.

A nova Convenção tem como objetivo reduzir a utilização de mercúrio, especialmente na fabricação de produtos e em processos industriais. Ela também aborda a questão do tratamento e armazenagem dos resíduos.

Em um estudo apresentado na véspera da Conferência de Genebra, entre os dias 13 e 19 de janeiro, o Programa das Nações Unidas (Pnuma), forneceu números sobre a presença do mercúrio em lagos e rios.

Nos últimos 100 anos, a quantidade de mercúrio presente nos primeiros 100 metros de profundidade dos oceanos, e das emissões ligada à atividade humana, quase que dobrou. As concentrações em águas profundas aumentaram em 25%, diz o estudo, lembrando os riscos da contaminação dos peixes para o consumo humano.

O Brasil foi representado pela diretoria de Qualidade Ambiental na Indústria do Ministério do Meio Ambiente (MMA)

As convenções internacionais são acordos que se transformam em leis. No Brasil, depois de sua assinatura, vai para o Congresso para a promulgação do texto. Em seguida, será ratificada por um decreto presidencial. A partir daí, as suas cláusulas passam a ser obrigações do País.

Fonte: Site: www.ibama.gov.br
 
 
Apycom jQuery Menus